30Mar
Coluna Dominical

Você merece mais do que esse trabalho

– 31 de março de 2019

Jaqueline Lessa *

Os jovens de hoje têm uma outra relação com o trabalho. O advento da internet e a noção de bem estar fazem parte das escolhas da juventude quando o assunto é produzir. A remuneração não é o fator principal, pois eles prezam pela qualidade de vida – especialmente no trabalho. Optam por fazer o que gostam, exigem respeito e preservam seus momentos de prazer no dia a dia. Quem vive esperando pela sexta-feira e tendo horror da segunda-feira, poderia se espelhar nesses conceitos para mudar. Você certamente merece mais do que isso.

Para a maioria, a qualidade de vida no trabalho ainda é um desafio. A insatisfação na labuta afeta diretamente o rendimento dos indivíduos e, consequentemente, o resultado das instituições. O ambiente competitivo está posto no mercado. Com isso, os colaboradores são mais exigidos e (sobre)vivem em constante cobrança. A pressão é vertical e hierarquizada em busca de metas e resultados. É isso que você quer para sua existência?

Algumas empresas percebem o quanto os colaboradores estão desacreditados do processo e estão investindo em programas de qualidade de vida, muitas delas instigadas pela juventude. Em contrapartida, o profissional devolve melhoria na sua capacidade produtiva ao sentir bem estar e aumento da autoestima. Não existe idade para buscar qualidade e alegria. Vá atrás disso! Existem alternativas.

Ao longo da História, o trabalho foi ocupando uma parte significativa na vida dos seres humanos. O que antigamente era para suprir as necessidades básicas de sobrevivência passou a ser o ponto central da vida do homem, principalmente depois da Revolução Industrial. Com o passar dos anos, as companhias sentiram a necessidade de aumentar a produtividade. Para tal, se fez necessário a força de trabalho. Dessa maneira, ficou impossível ignorar a presença do homem à frente da produção.

Com a tecnologia, o trabalho passou a ser desenvolvido em qualquer lugar: em casa, no hotel, no parque, em viagens, etc. Por outro lado, aonde o indivíduo vai, o trabalho vai com ele. É justamente este aspecto que intensifica a necessidade de os colaboradores terem sua criatividade preservada, bem como seus talentos incentivados. Repito: os jovens sabem lidar com esse cenário, mas qualquer pessoa pode aprender. As empresas que possuem a preocupação em oferecer um ambiente saudável com conforto, respeito, segurança, alegria e bem estar, estimulam o uso de todas as capacidades de um colaborador.

O termo Qualidade de Vida no Trabalho, chamado de QVT pelas corporações, surgiu em meados dos anos 60, em meio à transição da era industrial para a digital. Foi na década de 70 que este conceito ganhou força quando Louis Davis, professor da Universidade da Califórnia (EUA), usou a expressão para definir o sentido de bem estar, de saúde e de desempenho dos colaboradores nas suas atividades. Ele mostrou as consequências que as empresas estavam enfrentando com profissionais estressados, desmotivados e doentes por conta da falta de QVT.

A busca diária por um ambiente mais humanizado é uma entre as tantas atribuições da QVT. Estar atento em aproveitar as habilidades mais refinadas dos colaboradores é outra alternativa, buscando um equilíbrio entre a tecnologia, as tarefas e os seres humanos. Colaborar pode ser mais lucrativo do que competir.

Hoje, sabemos que a qualidade de vida no ambiente de trabalho não se limita apenas em prevenir acidentes. Para isso é importante desenvolver um estudo criterioso que apure as causas de insatisfação, tanto na carreira como no âmbito pessoal, e entender que o sujeito é a mesma pessoa. Ou seja, não é possível dissociar o “ser humano família” com o “ser humano trabalho”.

Várias ferramentas podem e já estão sendo utilizadas para diagnosticar setores “doentes” e pessoas tristes. Convém salientar que existem companhias que propõem atividades em horários livres para aliviar sintomas de estresse. Musicalização, yoga, meditação e rodas de conversa são opções que têm alcançado êxito nos últimos anos. Eis que começa a surgir uma outra form

a de ser, contribuir e estar verdadeiramente vivo no ambiente de trabalho, não importa onde ele seja.

As empresas que tratam os funcionários como escravos estão fadadas ao declínio. As corporações que querem melhorar o mundo investem nos colaboradores independentemente se eles ficarão um ano, cinco ou dez na empresa. O ganho é consequência, não é uma pré-condição. Essas compreenderam a nossa juventude e terão sucesso. A tendência é as pessoas buscarem empresas que respeitam os seres humanos de forma integral e holística. Os melhores talentos estão nesses locais de trabalho. E você, até quando vai ficar reclamando da segunda-feira? Afinal, é impossível ser feliz estando infeliz no trabalho.

(*) Jaqueline Lessa é coach do ser integral, terapeuta transpessoal, yogaterapeuta e palestrante. Educadora e idealizadora em capacitações sobre ecologia profunda, educação para a sustentabilidade e vivências com a natureza. Professora de cursos de pós-graduação e consultora ambiental. Graduada em Biologia (PUCRS), Especialista em Psicologia Transpessoal (UNIPAZ), Mestre em Microbiologia Ambiental (UFRGS), Doutoranda (UFSM). Master Coach (CONDOR BLANCO). Possui também formação em Cursos de Biopsicologia e Yoga (VISÃO FUTURO) e curso de Ayurveda em andamento.

Contato: jaquelessa15@hotmail.com

One thought on “Você merece mais do que esse trabalho

  1. paxuca Reply

    excelente elucidação! obrigada por compartilhar! fui em busca do meu QVT (parece até um “vírus”… hehe) e hoje me sinto muuuuito melhor, mesmo! 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *