20Jan
Coluna Dominical

Por que isto acontece?

– 21 de janeiro de 2018

Luis Felipe Nascimento (*)

Existem alguns procedimentos, comportamentos e valores de produtos e serviços que eu tenho dificuldades de entender e por isto peço a tua ajuda. Você saberia responder alguns desses “por quês”:

– Por que, diariamente, estendemos uma colcha sobre a cama e ainda colocamos almofadas por cima, sem que ninguém entre e veja a tal composição decorativa?

– Por que dobramos e guardamos o mesmo pijama que vamos usar a noite? E por que os chinelos não poderiam permanecer ao lado cama? 

– Por que dizemos não ter tempo, talvez 5 minutos, para falar com um amigo, ler um texto ou assistir um vídeo e, depois dos jogos de futebol, gastamos 30 minutos ou 1 hora, ouvindo entrevistas de jogadores, técnicos e dirigentes responderem às mesmas perguntas com as mesmas respostas? Ou pior: por que investimos nosso tempo em novelas, séries na TV ou na internet, programas que em nada nos acrescentam?

– Por que mulheres usam salto agulha de 10 centímetros ou mais, se elas relatam que estes sapatos são muito desconfortáveis e que lhes causam muita dor? Em festas de casamento e formaturas, dizem que não veem a hora de fazer as fotos com os noivos ou formandos, para tirar os sapatos para calçar uma “rasteirinha” ou umas havaianas que, atualmente, são distribuídas como lembrança nas festas. A pergunta que fica no ar: não seria melhor elas já irem na festa de rasteirinha e os organizadores emprestarem sapatos só para as fotos?

– Por que um carro da concessionária, apesar de já ter rodado por uns 20km ainda é chamado de 0km, mas se percorrer mais 200m e cruzar a porta afora da loja, já perderá 20% do valor e o status de zero km?

– Por que o estacionamento chega a custar mais do que o almoço num restaurante? Será que em breve os estacionamentos não farão promoções do tipo: “estacione aqui e ganhe um almoço cortesia”?

– Por que pessoas gastam mais tempo se deslocando do que permanecem em locais tais como sala de aula ou no trabalho? O que ela faz no trabalho ou na sala de aula que não poderia ser feito a distância, ou de forma concentrada em poucos dias da semana?

– Por que as pessoas irão continuar comprando produtos em lojas de shoppings se o mesmo produto, na mesma loja, comprado pela internet custa bem menos e ainda entregue onde o comprador preferir? Quanto tempo essas lojas de shoppings vão sobreviver?

– Por que comprar produtos em embalagens pequenas e caras:  amaciante em embalagem plástica, refrigerante em lata e leite em caixa, nos quais a embalagem custa mais caro do que o produto? Por quanto tempo as pessoas aceitarão pagar pela embalagem e ganhar o produto como brinde?

Eu não sei a resposta destes “por quês”, mas imagino que mais da metade destas perguntas serão respondidas até 2030. Por quê? Porque parece que isto não faz sentido e não vai se sustentar por muito tempo… será?

(*) Luis Felipe Nascimento é Professor na Escola de Administração da UFRGS

Contato: nascimentolf@gmail.com

 

6 thoughts on “Por que isto acontece?

  1. Olga Pfeifer Mendes Ribeiro Reply

    Oi Felipe!
    Muito interessante teus questionamentos. Também tenho vários deles.
    Alguns até entendo, outros não sei se algum dia entenderei.
    No meu caso, eu preciso estar com o ambiente externo relativamente organizado para poder fazer outras coisas, por isso Deus me livre deixar a cama desfeita, os chinelos fora da sapateira, assim como o pijama no seu lugar😬 Dizem que tenho TOC. Mas confesso que camas cheias de almofadas me incomodam bastante.
    Já o tempo para os amigos, para mim é sagrado. Gosto de ver novela, não todas, mas muito mais para ter oportunidade de ficar sentada com meu cachorro no colo e me sentir no que chamo de momento “ameba”, não preciso fazer nem pensar em nada, só curtir meu Cusco. Não gosto nem que falem comigo neste momento. É só meu e dele.E a novela é um bom pano de fundo.
    Sobre os saltos em festas, acho que é somente por código de vestimenta adequada para cada ocasião, e pessoalmente não curto esta mania que se instituiu de calçar chinelos no final das festas. Só uso calçados que me façam sentir bem e que não me machuquem. Mas acho que algumas mulheres, talvez mais jovens, se sacrifiquem mais pela boa aparência.
    Hoje em dia o espaço urbano é muito mais valioso do que a comida. E em alguns poucos séculos, acredito que não teremos mais tantos carros, então os estacionamentos ficarão obsoletos e a comida do dia-a-dia voltará a ser um bem valioso.
    O ensino à distância é uma nova realidade que deve ser tratada com muita seriedade e respeito, uma vez que não dispomos mais de tanto tempo para os deslocamentos. O próprio trabalho no formato que ainda existe hoje está ficando ultrapassado, assim como suas relações de patrão e empregados. Já começamos a sentir as mudanças o que me faz pensar em como serão estas relações quando os nossos adolescentes de hoje forem adultos? Do jeito que acontece hoje já está mais do que claro que não dará certo no futuro. Novas propostas já estão surgindo, novas profissões também se adaptam a estes novos modelos que ainda nem conseguimos imaginar.
    Está muito claro que o comércio está mudando, que o consumidor não aceita pagar mais caro por um produto se ele sabe onde encontrar o mesmo produto por um preço menor e tudo isso em pouco tempo: somente acessando a internet dentro da própria loja que ele está. E detalhe: o cliente ainda olha para o vendedor e pede a senha do Wi-fi! Mas o que ainda é certo é que o consumidor precisa tocar no produto, isso faz parte da experiência da compra. Tanto que alguns comércios que existiam somente no formato virtual começaram a abrir pontos de venda física, mas sem aquela quantidade de vendedores, somente com repositores de peças e as vendas se fazem por tablets. Alguns nichos de produtos são totalmente experienciais, precisam encantar o cliente com o toque, a textura, o perfume, etc E para estes uma loja virtual jamais vais substituir o ponto físico.
    Assim como produtos mais baratos do que embalagens para mim é uma das maiores inversões de valores que nosso século está vivenciando. É uma consequência bem séria e triste do mundo contemporâneo: o valor está na embalagem e não no conteúdo. Ainda que muitos produtos não deveriam nem existir…
    Alonguei demais meu comentário, mas uma resposta puxou a outra e assim por diante. Adorei pensar sobre todos estes teus questionamentos que são de todos nós!
    Abraço

  2. ZéCarlos Reply

    … porque tem gente que faz isto? …. Tentei achar uma coisas que eu faço . .. ok. Séries no Netflix, unica razão de ainda ter tv.. e olha que eu vi algumas no tablet …. Mas colcha e pijamas ….e surpreende que alguém ainda faca isto… Estacionamento a mais de 15 é um virus que veio de Sumpaulo e tem gente que paga para achar que está numa cidade grande….kkkkkk

  3. Magda Brancher Gravina Reply

    Posso responder todas (menos a da cama arrumada, pois não arrumo e tb não sei porque ainda tem gente que arruma, abafando e criando um ótimo ambiente para os ácaros kkkkk), mas só falo na sua presença professor, pois sei que alguns pontos serão controversos e não consigo escrever tão rápido quanto penso!

  4. paxuca Reply

    professor… sempre textos inspiradores! identifico-me com todas as leituras! creio que o estado de questionamento é uma linha divisora entre os níveis de consciência… tanto melhor o questionamento, melhor o nível de consciência a que cheguei. lembra-te na fase dos por quês da infância?! em analogia, revive-se a infância a cada novo tempo na estrada da vida! desaprender para reaprender! adorei essa parte! =)
    abraço.
    Paxuca

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *