04Jan
Coluna Dominical

O Novo Umbigo do Mundo

– 4 de Janeiro de 2015

Luis Felipe Nascimento (*)

“Umbigo do Mundo” significa o centro do Mundo, para onde são atraídos os olhares, os astros, as personalidades, os ricos e famosos. Ao longo da história já tivemos várias regiões que foram o umbigo do mundo.  

  • E hoje, qual região seria o “novo umbigo do mundo”?

Há quem diga que é a região logo acima do púbis do mundo!

  • Ótimo, esta é daquelas respostas que não responde!

Falando sério, o antropólogo Gutierre Tibon (1905-1998) em suas pesquisas encontrou 27 lugares, nos quais os seus habitantes imaginavam que aquele lugar teria sido ou é o “umbigo do mundo”. Se ele tivesse continuado suas pesquisas, provavelmente descobriria o 28° lugar, o “novo umbigo do mundo”, que é a microregião que liga as cidades de  “Boa Vista do Buricá – Horizontina – Três de Maio – Santa Rosa”, localizada no interior do Rio Grande do Sul, distante cerca de 500 km de Porto Alegre.

  • No extremo sul do Brasil, no interior do Rio Grande do Sul, há 500 km de Porto Alegre, isto pode ser outra parte do mundo, mas não o umbigo!

Veja bem! Emigrantes alemães, russos, italianos, japoneses e portugueses deixam a Europa para viver nesta região, por quê?

  • Sei lá! Isto também ocorreu em outras regiões. E qual a conexão entre Santa Rosa e Horizontina?

Muito simples. Santa Rosa é o berço da soja e Horizontina o berço das colhetadeiras. A colhetadeira colhe a soja!

  • Tá e daí? O que isto tem a ver com o umbigo do mundo?

Não muito, mas existe sim similaridades desta microregião com os mais famosos umbigos do mundo, por exemplo:

O Oráculo de Delfos (Templo de Apolo) na Grécia. Neste local as sacerdotisas de Apolo faziam profecias em transes. Suspeita-se que os transes eram provocados por gases emitidos por uma fenda subterrânea ou pelo hábito de mascar folhas de louro. Por lá passavam peregrinos e pessoas famosas, entre elas Hércules, que foi consultar o Oráculo sobre o seu destino;

Cusco no Peru. “Qosco” na língua quéchua significa “umbigo do mundo”. A cidade foi a capital de dois impérios, o Inca e o Espanhol. Para não deixar a cabeça tonta na altitude de 2,6 mil metros, os Incas e visitantes bebem muito chá de coca e mastigam a folha, deixando aquele suco amargo descer pela garganta;

Jerusalém, Ilha da Páscoa, a Mina Mir (mina de diamante na Sibéria) são outros lugares conhecidos como umbigo do mundo. Todos eles atraem personalidades, aventureiros, peregrinos de muito longe. E, em alguns dos 27 umbigos, tinha alguma erva estranha que era ingerida pelos visitantes.

Na tal microregião do Rio Grande do Sul se tem o hábito de tomar o chimarrão, que é um erva (estranha para muitos visitantes) e que resulta num suco amargo que desce pela garganta.

  • Só por isto seria o novo umbigo do mundo?

Espere, esta região tem uma peculiaridade! Nenhuma outra microregião do mundo fez tantas conexões com astros como esta. Me responda:

Qual é o melhor jogador de futebol de todos os tempos?

– Pelé! Menos para os argentinos;

Qual é o melhor piloto da Fórmula 1 de todos os tempos?

– Ayrton Senna! Menos para os argentinos;

Qual é o maior surfista de todos os tempos?

– Kelly Slater! Até para os argentinos! Ele foi 11 vêzes campeão mundial de surfe;

Qual é um dos melhores quarterback do futebol americano de todos os tempos?

  • Tom Brady! Ele continua jogando e batendo recordes. Joe Montana e outros já pararam.

Viu só, estes são os principais astros de quatro importantes modalidades do esporte mundial!

  • Mas o que Pelé, Ayrton Senna, Kelly Slater e Tom Brady possuem em comum? O que eles tem a ver com tal microregião do interior do RS?

Todos foram atraídos pela energia desta microregião! Pelé e Ayrton Senna foram namorados de Xuxa, que nasceu em Santa Rosa. Kelly Slater é ex-namorado e Tom Brady o atual marido de Gisele Bündchen, que nasceu em Três de Maio e cresceu em Horizontina. Além destes astros do esporte, a Gisele ainda tem no seu currículo de ex-namorados os atores Rodrigo Santoro, Josh Hartnett e Leonardo DiCaprio e a Xuxa tem o Luciano Szafir.

– Caramba!!!

A energia da microregião não foi só para atrair astros, mas também para produzir estrelas. A Gisele (34 anos) é considera a modelo mais bonita, a mais rica e uma das 100 mulheres mais poderosas do mundo. Com mais de 500 capas de revistas, ela só perde para a Princesa Diana (por enquanto!). Em 2014 Gisele ultrapassou o craque Neymar no ranking dos que mais aparecem em intervalos comerciais na TV aberta.

A Xuxa Menghel (51 anos), conhecida como a “Rainha dos Baixinhos” foi um dos maiores ícones da TV Brasileira. Além de cantora, atriz, modelo e empresária, esteve na lista da Forbes como a 37º mais rica atração do show business internacional. Até então, nenhuma artista brasileira tinha conseguido ganhar 19 milhões de dólares num único ano. Fez carreira internacional com programas na Argentina e na Espanha. Foram mais de 2000 programas e 130 discos que venderam 18 milhões de cópias.

Leonardo Dicaprio e Tom Brad foram vistos nas ruas de Horizontina, cidade onde reside a família de Gisele. Os demais, se não foram até o oráculo da microregião, usufruiram das suas energias.

  • Será que ainda tem algumas Xuxas e Giseles por lá?

Quem conhece, diz que as mais bonitas ainda estão lá! Como diria Daniela Mercury: “Isso aqui é o umbigo do mundo, onde a beleza tem muitas caras, cores e raças…”

  • E Boa Vista do Buricá?

 Pois é… esta eu fico te devendo… não sei por que Boa Vista do Buricá apareceu nesta história!

(*) Luis Felipe Nascimento é Professor na Escola de Administração da UFRGS
Contato: nascimentolf@gmail.com

 

28Dec
Coluna Dominical

Desejos para 2015!

– 28 de dezembro de 2014

Luis Felipe Nascimento (*)

Ao final de cada ano as videntes fazem as previsões para o próximo ano e cada um de nós faz a sua lista de desejos. Desde que a Mãe Dináh não conseguiu prever a sua morte em 2014, muita gente anda meio descrente das videntes, mas continua com a lista de desejos. Os meus desejos para 2014 foram quase todos atendidos. Vejam só:

– Que o Sarney se aposentasse (atendido);

– Que o Inter se classificasse para a Libertadores e que o Grêmio desse o seu melhor. Resultado: Inter classificado e Grêmio foi sétimo colocado – “deu o seu melhor!” (atendido);

– Que o Brasil fosse campeão mundial usando a sua habilidade com os pés. Este pedido não foi bem “entendido”, mas foi “atendido”. Obrigado Gabriel Medina, campeão mundial no Surfe;

– Que a justiça lavasse a sujeira deste país! E veio a operação “lava-jato” (parcialmente atendido);

– Que a COP 20 – Convenção das Mudanças Climáticas – tivesse sucesso. Pintou um “clima” de esperança para a COP 21 em Paris-2015 (parcialmente atendida);

– Que os líderes mundiais fizessem alguma coisa boa pelo Mundo. Além de ajudar o San Lorenzo, o Papa Chico intermediou a aproximação dos EUA e Cuba (atendido);

Mas, para que ninguém duvide de que os meus votos foram realmente feitos na virada do ano de 2013/2014, vou divulgar na virada de 2014/2015 os meus votos para 2015:

– Fazer exercícios físicos com regularidade;

– Emagrecer mediante uma reeducação alimentar;

– Encontrar os amigos com mais frequência;

– Dedicar mais tempo ao lazer;

– Ser mais eficaz, eficiente e efetivo no trabalho;

– Fazer a minha parte para melhorar o mundo;

– Lutar contra toda forma de preconceitos;

– Ser mais solidário;

– Escutar mais os outros;

– Que os leitores da Coluna Dominical sejam muito felizes e que tenham seus desejos atendidos.

Com todo o respeito a numerologia, astrologia e todas as ciências, crenças e religiões, “2015” é o 2º (= vinte) ano da “C-o-l-u-n-a D-o-m-i-n-i-c-a-l”, que tem 15 letras. Segundo a astrologia chinesa, 2015 é o ano do carneiro, que é imaginativo e criativo. Então, sendo imaginativo, podemos concluir que 2015 é o ano para ler a Coluna Dominical e que, se os meus desejos forem atendidos, os seus também serão! Agora, se você não acredita em nada disto, veja da seguinte forma: independente das condições, as coisas poderão dar certo ou errado para você em 2015, então, por que não acreditar e batalhar para que elas deem certo? Acredite, este é o ano, você vai bombar! (veja nossa mensagem caseira – https://www.youtube.com/watch?v=GW_5xUv0iyI ).

Um Feliz 2015 para todos nós!

(*) Luis Felipe Nascimento é Professor na Escola de Administração da UFRGS

Contato: nascimentolf@gmail.com

Obs 1: Obrigado amiga Neusa Cavedon pelas dicas para esta Coluna;

Obs 2: Leia “Ano Novo – Lentilha e roupa branca?” em http://luisfelipenascimento.net/?p=1416

 

29Dec
Coluna Dominical

Ano Novo – Lentilha e roupa branca?

 

– 29 de dezembro 2013

Luis Felipe Nascimento (*)

Feliz Ano Novo! Mas por que fazemos isto no dia primeiro de janeiro? Ora, porque o ano começa no primeiro dia de janeiro! Parece óbvio, mas não é! Vocês já se perguntaram por que o ano não começa em 26 de dezembro? Acompanhem o raciocínio: Nós consideramos o nascimento de Jesus Cristo como marco zero da era cristã. Assim como nós contamos os nossos anos de vida a partir do dia do nosso nascimento, deveríamos contar os anos da era cristã a partir do nascimento de Cristo (DC), concordam? Então, por que iniciar a contagem uma semana depois da data do nascimento de Cristo?

Bem, este é só mais uma dos fatos históricos que não fazem muito sentido. Vejam por exemplo o calendário Gregoriano, que nós utilizamos hoje. Este calendário foi instituído pelo Papa Gregório XIII em 1582, em substituição ao calendário instituído por Júlio César, 46 anos antes de Cristo. No calendário Gregoriano o ano é composto por sete meses com 31 dias, 5 meses com 30 dias, fevereiro com 28 dias e, quando bissexto, com 29 dias. A “segunda”-feira é o “primeiro” dia útil da semana. Vejam só que confusão!

O calendário Gregoriano foi sendo implantado nos diferentes países ao longo dos séculos, mas ainda hoje existem povos que se orientam por outros calendários, como o calendário Budista que está no ano 2557, o hebreu entre 5773-5774, o Islâmico entre 1434-1435, entre outros.

Tudo seria mais simples se utilizássemos o calendário lunar dos Maias e dos Egípcios. Durante uma volta da Terra ao Sol, se passam 13 luas. Logo, basta dividir o ano em 13 meses iguais, todos de 28 dias, totalizando 364 dias. Sobra um dia. No calendário Maia, o ano inicia em 26 de julho e termina em 24 de julho do ano seguinte, sobrando o dia 25 de julho, como o “dia fora do tempo”, um dia para libertar-se da prisão do tempo. Os egípcios celebravam na data de 26 de julho o início do ano novo e o princípio das cheias do Rio Nilo, que traria abundância.

Em 1849 o filósofo positivista Auguste Comte propôs um calendário que também dividia o ano em 13 meses de 28 dias. Recentemente o arqueólogo americano José Arguelles conseguiu o apoio do Secretário Geral da ONU e está liderando um movimento pela reforma do nosso calendário, passando a utilizar um calendário de 13 meses. Arguelles diz que a nossa civilização esqueceu que o tempo está relacionado com os ciclos naturais e que monetizou o tempo: “tempo é dinheiro”. Se o movimento pela reforma do calendário ganhar força, é possível que os nossos netos comemorem a entrada do ano no dia 26 de julho.

Na nossa cultura, a virada de ano também é um momento de renovar esperanças. Nós incorporamos alguns rituais que visam dar sorte no ano que se inicia. Algumas pessoas utilizam roupa nova no réveillon e peças de roupas com cores relacionadas a determinados significados: branco (paz e harmonia), vermelho (força e paixão), amarelo (dinheiro e prosperidade), laranja (sucesso), azul (harmonia e paz) e verde (saúde, esperança e equilíbrio). Existe também a crença de que comer determinados alimentos trará alguns benefícios, como por exemplo: lentilha (sorte financeira); romã (fertilidade e prosperidade); uvas (prosperidade); carnes de boi, porco e cordeiro (o porco fuça para frente, o que simboliza prosperidade. Mas cuidado, aves são contraindicadas, pois elas ciscam para trás); frutas cristalizadas e secas (pêssego, figo, amêndoas, nozes, avelãs e tâmaras significam sorte e fartura). Obviamente não pode faltar a Champanhe, símbolo da comemoração, da alegria e da abundância.

Para conseguir seus desejos, há quem acredite e pratique coisas estranhas como: a meia noite do dia 31 de dezembro, colocar uma folha de louro na carteira; dar três pulos com o pé direito e beber três goles de champanhe; comer sementes de uva e romã; ou para quem quer viajar, arrastar uma mala até a porta da casa.

A virada do ano faz muitas pessoas refletirem sobre a vida. Alguns são otimistas e dizem que será “mais um ano de vida”. Já os pessimistas dizem que será “menos um ano de vida”, como se tivessem uma data estabelecida para morrer. Poucas são as pessoas que consideram que o “ano novo” será a colheita do que foi plantado no “ano velho”.

Assim como o Natal, o Ano Novo tem um significado especial, é o início de um novo ciclo. A vida funciona em ciclos. Depois do dia vem a noite; depois do inverno vem o verão; depois da juventude vem a velhice… e o tempo não pára, mas a nossa relação com ele pode ser diferente no próximo ano. A cada ciclo que se completa, podemos aprimorar as nossas vidas, sermos pessoas melhores e mais felizes. Que as crenças populares da folha de loro na carteira, de usar roupa branca e comer lentilha, não sejam mais do que brincadeiras. Que as nossas verdadeiras crenças e nossas energias sejam para encher de sentido as palavras que mencionaremos na virada: “paz”, “harmonia”, “saúde”, “felicidade”!

Um feliz Ano Novo para TODOS nós.

(*) Luis Felipe Nascimento é professor na Escola de Administração da UFRGS.

Contato: nascimentolf@gmail.com

Três coisas que não podem faltar no Natal !