19Nov
Coluna Dominical

Os 10 melhores anos da minha vida!

– 19 de novembro 2017

(*) Luis Felipe Nascimento

Entre o passado e o futuro, qual década você acreditaria que foi ou ainda será a melhor de sua vida? Difícil dizer, pois são épocas muito diferentes… Teria sido o período da infância ou da juventude, que traria boas lembranças?  E que tal aquele tempo de universitário? Foi nesta época que muitos de nós deixou a casa dos pais, curtiu muitas festas, teve muitos amores, viajou, conheceu pessoas, aprendeu muito sobre várias coisas. Ou talvez o próximo período, quando encaramos a vida profissional ou os mestrados/doutorados, concurso aqui e ali, casamentos, filhos e compra de um imóvel? Depois disto veio o período em que nos envolvemos com a educação dos filhos, que conquistamos estabilidade financeira, alguns casamentos se desfazem, conquistamos reconhecimento profissional e os novos desafios aparecem. Pode-se dizer que quem está na faixa dos cinquenta ou sessenta anos, vive a “síndrome do ninho vazio”, quando os nossos filhos saem de casa e seguem os seus caminhos. Nesta época alguns já estão aposentados e outros pensando no que fazer quando se chegar esse tempo ou, quem sabe, só curtir os netos. Atualmente as pessoas continuam produtivas aos 70 anos e muita gente continua trabalhando mesmo sendo considerado idoso. A expectativa de vida aumentou e chegar aos 80 ou aos 90 anos não é exceção. Enfim, cada período tem o seu encanto e as suas dificuldades. E aí, conseguiste identificar a melhor década da sua vida?   

Pois bem, eu fiz uma reflexão a respeito, a qual passo a compartilhar com vocês. Eu resolvi eleger os próximos 10 anos como os melhores da minha vida. Sei que não será fácil e que precisarei lembrar disto todos os dias, mesmo nos dias que surgir alguma dor ou que alguma coisa não der certo. Isto também faz parte da vida e não vai acabar com o meu propósito.

Mas por que estes serão os melhores anos? Porque o que nos move é o futuro! Se não desejarmos fazer deles o melhor período das nossas vidas, começaremos a morrer dia após dia. Dizer que “éramos felizes e não sabíamos” e ter saudade do passado, não nos faz mais felizes. O que nos faz feliz é estar bem no presente e não ter medo do futuro. Por outro lado, vamos nos tornando insatisfeitos e infelizes quando nos entregamos à rotina e passamos a fazer o que a vida nos manda fazer. O sinal de que perdemos o comando da nossa vida é quando “o que fazemos” não é “o que gostaríamos de fazer”.  

Portanto, nos próximos 10 anos da minha vida quero fazer o que gosto. Pode parecer egoísmo, mas cuidar de nós é o que podemos fazer de melhor para a nossa saúde física, mental e emocional. As doenças preferem corpos debilitados e corações insatisfeitos. Não quero crer que “o meu tempo já passou”, mas que o tempo que passou vai fazer ser ainda melhor o tempo que virá. Acredito que o futuro depende menos do que “nós podemos fazer” e mais do que “nós queremos fazer”.

Dizem que quando se chega no topo da carreira, não se precisa provar mais nada para ninguém, mas também devemos continuar buscando desafios e, pelo menos no meu caso, quero superar os desafios que por mim forem estabelecidos. Quero acreditar que posso fazer algo importante para mim e para os outros. Quero continuar a aprender e ensinar, me conectando às novas gerações, acompanhando as tendências e compreendendo as transformações e os novos rumos do conhecimento.

O que será que vai mudar? Ainda não sei, claro, mas espero me encher apenas com o que importa. E para isto, vou precisar do seu apoio e da sua amizade, pois acredito que ser seu amigo me energiza e prolonga os meus dias de vida!   

(*) Luis Felipe Nascimento é Professor na Escola de Administração da UFRGS

Contato: nascimentolf@gmail.com

2 thoughts on “Os 10 melhores anos da minha vida!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *