Código Mar – Luisfelipenascimento
04Feb
Coluna Dominical

Código Mar

– 4 de fevereiro de 2018

Luis Felipe Nascimento (*)

Há uns 300 anos AC, o matemático Pingala já utilizava um código de comunicação semelhante ao Código desenvolvido por Samuel Morse em 1835, que é transmitido utilizando apenas dois estados: ligado e desligado. Curiosamente, os nossos complexos computadores utilizam o chamado sistema binário, que também funciona utilizando “zero ou um”. Ou seja, a comunicação complexa e rápida, é feita de forma simples, precisamos apenas decodificá-la.

Mas essas informações teriam alguma coisa a ver com o Mar? Sim, pois o som das ondas parece binário… por vezes baixo e por vezes mais alto, com intervalos de tempo diferentes. Ouvindo o Mar, fiquei imaginando quando chegar o dia em que alguém decifre as mensagens do mar, nós ficaremos até chateados por não termos “dado ouvidos” ao que ele nos falava sempre que nos aproximávamos dele…

A primeira questão seria: que mensagem o Mar estaria transmitindo? E mais: seria a mesma mensagem para milhares de pessoas que estão na praia? Ora, assim como um cabo de fibra ótica consegue, ao mesmo tempo, transmitir milhões de mensagens para diferentes computadores, por que o Mar não seria capaz de transmitir mensagens particulares às pessoas que quisessem lhe ouvir?

O que o Mar estaria nos dizendo e que, até hoje, não ouvimos? Bem, se o movimento das marés é regido pela força gravitacional do Sol e da Lua, provavelmente seja a natureza, ou quem a rege, que estaria nos enviando tais mensagens. Talvez quem rege a natureza, utilize o “Código Mar” para nos enviar mensagens sobre a nossa missão nesta vida, ou ainda, por meio dele passe dicas de como podemos viver melhor aqui na Terra. Se a vida surgiu no Mar, não poderia ter deixado algum canal de comunicação aberto com as suas origens?

Já sei, você deve estar pensando: “E as pessoas que estão longe do mar, não receberiam tais mensagens?” Uma boa pergunta! Lembre-se de que o Código Morse, Código Binário e tantos outros, não são acessados por todos, mas ajudam milhões de pessoas. Talvez quem decifre estas mensagens possa repassá-las, ou quem sabe existam outros códigos que possam levar essas mensagens para quem não pode ouvir o Mar.

Isto tudo pode ser “uma viagem”, mas fica aqui o convite para uma reflexão. Não estaria na hora de afinarmos nossos ouvidos para os códigos já decifrados e que podem estar nos enviando mensagens que não estamos ouvindo? Deus, o Universo, a Natureza ou até, quem sabe, quem está ao nosso lado, pode estar querendo nos dizer algo que nossos ouvidos ainda não estejam ouvindo. Escute com mais atenção!

(*) Luis Felipe Nascimento é Professor da Escola de Administração da UFRGS.

Contato: nascimentolf@gmail.com

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *